segunda-feira, 19 de abril de 2010

Sobre todas as coisas

Escrever, anotar em algum lugar para reler anos depois me faz ver tão nitidamente o quanto me repito.
Em meio a fatos que se repetem, acontece também de deixar de gostar do que (de quem) gostava antes. E de gostar ainda mais de certas coisas (pessoas). Isso acontece com todo mundo, o fato de descobrir certas coisas sobre mim mesma é que me parece interessante.
Desde que comprei uma fita com músicas de Roberto Carlos, descobri que a voz, a musicalidade, a poesia e aquelas letras batidas de amor mexem comigo também, como com todos que o ouvem com o coração.
Desde que pisei na praia pela primeira vez, nunca mais deixei de desejar olhar o mar, sentir a areia e deixar a água bater, massageando a alma.
A minha liberdade me permite pintar um quadro, ficar sem fazer nada, trabalhar com o que gosto, amar quem eu amo e evitar pessoas pequenas e levianas. A vida é boa demais comigo e mesmo assim tem horas em que eu questiono e parece-me que minha vida não foi feita pra mim.


2 comentários:

Cris disse...

Olá Senhorita Questionadora...rs
Inevitável essa constante repetição e esse oscilar "entre gostos", porque ainda que passemos por mudanças, somos essencialmente os mesmos!
Achei uma pena o perrengue canino e senti uma estranheza ao ver a sua imagem pascoalina, aonde foram parar os coelhinhos brancos e fofinhos (rs) e concordo, nada vem sem empenho e direcionamento!
Adivinha... como a minha agenda é leve, arrumei um bico para reorientar as finanças!
Beijão moça, e saudades também... se cuida enquanto isso, ok?

Cris disse...

Oiê Flá... tô no service...rs
Acabei de ver isso, pode ser que interesse para vc e para esse "seu vício"...rs
http://www.extecamp.unicamp.br/dados.asp?sigla=FEG-0122&of=003
Beijão e até mais!